domingo, 17 de maio de 2009

Vida.com



Já vos disse o quão me toca este filme? Não, pois não. Nem conseguiria quantificar.

A minha vida enche-se de ternura com «A minha vida sem mim», de Isabel Coixet. Uma pérola, que guardo na concha das vibrações emocionais.

2 comentários:

Joaquim Alexandre disse...

Olá, Raquel!
No filme "ele" chama-se Speedman.
Facto. Repara bem.
A.

amazingstar disse...

tb é um dos meus filmes favoritos. aliás admiro imenso o trabalho da realizadora. "A vida secreta das palavras" e "Elegy" também são fantásticos.