sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

As manias da mulher nham nham

Respondendo ao desafio da Violet, faço uma lista com cinco manias muito minhas. Lanço o mesmo desafio à Ana, ao Manhoso, ao Ice Device, ao Ivan, ao Paulo, à Sininho, ao José Veloso e à Menina Limão.
  • 1) Flocos de cereais ao pequeno-almoço e café ao almoço. Dia que comece sem cereais não é um bom dia. Acordo sempre esfomeada e não há nada que me saiba melhor que os habituais cereais: Kellogg's Special K, All Bran Flakes ou Clusters. E almoço que não seja seguido de um café não tem o mesmo sabor. Além de que se passar um dia sem tomar um café, fico com uma bela dor de cabeça.
  • 2) Lavar as mãos. Ando constantemente com as mãos na àgua. Sempre fui assim. Faço qualquer coisa e tenho logo, de seguida, de lavar as mãos. Quando visito alguém no hospital, devo ser das poucas pessoas que cumprem sempre a regra das mãos lavaditas.
  • 3) Bruxismo. A palavra pode conduzir a interpretações esotéricas ou fálicas, mas não é mais do que a acção inconsciente de apertar ou ranger os dentes durante o sono. Para além de desgastar os dentes, o bruxismo pode provocar dores de cabeça. O meu dentista tratou de me tirar um molde da dentição e fazer-me uma goteira, para dar descanso aos dentes. E fiquei a saber que ele próprio também sofria de bruxismo. Segundo me disse, o número de "bruxistas" está a aumentar.
  • 4) Não saio de casa sem colocar na mala uma garrafa de água, saquetas de bolachas ou barras de cereais. Faço isto desde os tempos da universidade. Aliás, virou a minha imagem de marca. Uma colega de curso dizia que, mais tarde, quando se lembrasse de mim, iria associar-me a uma garrafa de água e bolachinhas. Como me alimento pouco às refeições, o meu organismo não aguenta ficar muitas horas seguidas sem comer. Mulher prevenida evita crises de hipoglicémia.
  • 5) Tenho vertigens. Descobri isso há muitos anos, ao passear nas muralhas de Óbidos. De lá para cá, as vertigens pioraram. Há dois anos foi um terror passear no Palácio da Pena, em Sintra. Como se alguma força invisível me atraisse para a queda. Horrível.

7 comentários:

Sininho disse...

Desafio aceite :) beijinhos

ivan disse...

ó caraças...

Sr . c/ nome de motociclo de 2rodas disse...

Descansar as pernas pelo menos 2 horas por dia não é também....mania?

Ou era só meia-hora? Já não me lembro!!!! E não digas que é mentira pq a malta lembra-se bem disso.

Ah, e à garrafa da água não terás de juntar a maçã????

Beijo

raquel disse...

ó senhor com nome de motociclo de duas rodas, ai como eu gostava de me lembrar do contexto do descanso das pernas! Só para não ter de vos "aturar" :)

Em relação à maçã ficou pelo caminho...já há muito tempo que não como maçã sem a descascar...

Uma mania que também ficou pelo caminho foi a de balançar o tronco, para a frente e para trás, nas ultrapassagens...era um ritual das viagens para Braga, partilhadas com a ALF...que saudades, que risota. Não havia condutor ultrapassado que não sorrisse ao ver-nos lol

Ah, miguito, outra mania ficou para trás: a de fazer ver a um certo bracarense com nome de motociclo de duas rodas que estava a dizer "paramos" julgando estar a dizer "parámos". Parámos, parámos. Mas a teimosia - da raquel e ALF - valeu a pena, porque o pretérito perfeito sai-te na perfeição.

(vá, embrulha a sande lol)

José Veloso disse...

As manias...
Pois gostei do desafio...

O recostar-me na cadeira...
Quando o telefonema vai longo... o braço na nuca e o recosto inconsciente chegam como se de um nevoeiro repentino se tratasse...
Isto deveu-se ao facto do escritório ter uma porta vidrada virada para um pomar... e uma das coisas que me acalmam é olhar as laranjas no cimo da árvore... logo, recosto-me na cadeira com o braço esquerdo na nuca e lá fico ouvindo e respondendo com sumo natural...

O cabelo em pé...
O pensar e repensar... e por vezes o encolher do mundo levam a que passe as mão no cabelo vezes sem conta durante o dia (não sou o Nuno Gomes!)... passados uns minutos, lá alguém me diz... JV esse cabelo em pé... fica-lhe a matar!...

As reticências...
A páginas tantas viciei-me em reticências. Já não consigo escrever sem as usar...

O abanar o pé...
Talvez pelo ritmo que vou absorvendo... ou pelas vibrações espalhadas por aí... dou por mim a abanar o pé... por vezes sentado as pernas quase que se transformam em asas de milhafre...

No meio de tantos outros traços...
A água / mar... é daquelas manias que jamais irei perder... o som das ondas...

Acompanho-a nas vertigens - apesar de que as consigo vencer... no café... no lavar de mãos, apesar das gorduras não me deixarem tonto... no pequeno almoço - mas com maior variedade... no cigarrinho das 9:30h... e por falar em bolachas... quando as tenho por perto... não lhes dou muita hipótese de ficarem moles...

Um belo Domingo
JV

raquel disse...

Obrigada JV, por responder ao desafio, por partilhar as singularidades :)

Ice-device disse...

1- Gostar de frio.

2- Os casacos de malha. Soam-me e sabem-me bem. É da simplicidade.

3- Atirar a roupa para o chão. Ainda me há-de custar um surpreendente e doloroso divórcio.

4 - A implicância com a extrema esquerda e aquela superioridadezinha intelecto-moralista.

5- Armar-me em engraçado. Umas vezes resulta.