quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A luta






Arrepanho-me toda para dentro -
querer ter apenas interior.
Fui sendo dentro e fora
e agora um amontoado de palavras-dor.

Ganhei infância e morte lesma:
um quarto de brincadeira séria.
O medo de querer ser eu e eu e Eu

Um corpo-jazigo,
o mármore mole da carne.

A luta arguta de mim contra mim.


5 comentários:

Anónimo disse...

Gostei muito do seu texto.Recomendo(mas já deve conhecer), a Pianista
com a Isabelle Huppert.Voltarei a visitar o seu blog com a devida atenção.Tomei conhecimento, através do cibertúlias.
até breve,
fm

raquel disse...

Caro fm,

Seja bem-vindo a esta casinha :)
Já vi a Pianista, sim. Magnífica interpretação da Isabelle. Inquietante filme ;)

Anónimo disse...

sexo masculino fm

Anónimo disse...

o/a sorry tired/sleep

henedina disse...

Poema e filme dorido.
Raquel não se arrepenhe para dentro. Escreva-se para fora.
E uma boa noite para si.