quarta-feira, 1 de julho de 2009

Coração com preço

Imagem de Amatorka


Quanto valeria o meu coração em leilão? Nunca me tinha ocorrido esta questão (bastante idiota, diga-se) senão agora, perante a compra do «Coração Independente Dourado». Esta obra de Joana Vasconcelos vale 192 mil euros. A arte tem este poder: faz-nos levantar questões até então muito horizontais.
Até os corações independentes têm um preço.
Mas e o meu coração? Alguém o desejaria comprar, com as suas taquicardias, (in)dependências afectivas ou histórias secretas? Algum escritor com falta de inspiração sentir-se-ia tentado a espreitar o músculo do meu sentir?
Quem o rematasse teria de estar ciente que, para me ler os batimentos, só com um electrocardiograma metafísico.


P.S. Deixo aqui um
link, especialmente para a Violet.



5 comentários:

Violet disse...

Não sei se ajuda a colaboração de uma aspirante a Cardiologista....

Que todos os corações têm segredos e não existem 2 traçados de ECG iguais...

But let me say this: it´s a priceless heart, for sure..

raquel disse...

Violet, agora fizeste-me soltar um sorriso :)

Beijinho

raquel disse...

E acrescento, Violet, que me fizeste sorrir por várias razões...todas elas conhecidas do coração :)

Ademar Santos disse...

O coração... come-se? Confesso que nunca provei, nunca levei à boca, nem sequer lambi (e já provei de quase tudo)...
Se quer que licite o seu, mande-me uma fotografia, por favor. A três dimensões, pelo menos...
De olhos vendados, só compro o imprestável...

Joaquim Alexandre disse...

Olá, Raquel:

Somos electricidade e química e fascínio - somos um zapping à velocidade de uma sístole.

O fora afaga e ofega e afoga o heartbeat de dentro.

Um fora assim não tem preço.
Um dentro assim não tem preço.

Claro que há quem o diga melhor.

Clarice Lispector:
«Sou caleidoscópica:
fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro.
Sou um coração batendo no mundo."

A.