quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Sou toda ouvidos





Porque os The Gift vão ser sempre nossos. Porque os The Gift nos transportam para o campus do sonho, do crescer, do querer ser. Porque Braga nos uniu, nos fez escolhermo-nos uns aos outros. Porque, apesar das circunstâncias geográficas, continuamos [ e continuaremos, emos, emos] juntos. Por tanta, tanta coisa, e também por, como diz e bem a Alf(ace), a amizade ter som e por nós termos aprendido que a vida não é simples, aqui fica «Ok! Do you want something simple?».

11 comentários:

ivan disse...

tantas refrências seguidas à minha terra! quando voltas?

raquel disse...

ó Ivan, a tua terra é tão minha, tão minha :)

Um dia destes volto...e ainda nos cruzamos na Avenida Central :)

Beijinho

Robin K disse...

Por vezes, procurar a felicidade é frustrante como escavar na água.

entrelinhas. disse...

resolvi passar por aqui e adorei :)
principalmente a imagem que se ecaixa perfeitamente no titulo do blog :)
beijinho, sara

Filipa Júlio disse...

que engraçado, a 1ª vez que ouvi/vi os the gift foi no auditório da fac. de filosofia, em Braga, nos anos 90 (quando lá estudei). Completamente desconhecidos, na altura, conseguiram arrepiar todas as alminhas que estavam naquela sala. e criar um séquito fiel e incondicional. portanto, o que escreveste faz todo o sentido para mim.

alf(ace) disse...

Filipa Júlio:

Nós (eu, a Raquel...) também lá estivemos nesse dia, nesse concerto intimista. Não voltei a ver os The Gift de forma tão especial.

Lembras-te Lili?

raquel disse...

Filipa Júlio, provavelmente cruzámo-nos algures por Braga.

Agora, do concerto tenho uma recordação muito difusa :(

alf(ace), como é possível eu não me recordar de muitos pormenores ?!

Sr . c/ nome de motociclo de 2rodas disse...

Raquel, acho que a Alf(ace) te confundiu.

Se bem me lembro, a esse concerto fui eu, a Alf(ace), a sua homónima de Cantanhede e o Xico.

Mas posso estar enganado....

E sim, Filipa Júlio, a minha alma também se arrepiou. A partir dessa noite, passei, inevitavelmente, a fazer parte desse séquito.

raquel disse...

Ah, senhor com nome de motociclo de duas rodas, bem me queria parecer!

Estava eu a dar voltas e voltas à cabeça sem ter grande ideia do concerto...podia lá ser ter ido e o concerto não ter ficado gravado na minha cabeça :)

Filipa Júlio disse...

o mundo é redondo e pequenino. mesmo. :))))

xico disse...

ainda me lembro como olhei várias vezes para a fila de trás para ver certa e determinada miúda... e como,à saída deixei, que o maço de tabaco se espalhasse pelo chão... portanto memorável por diversos motivos.