quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Resiliência

Leni Riefenstahl (1902-2003)

«(...)chocam-me muitas situações de isolamento, nomeadamente na viuvez e, mais provavelmente, nos homens do que nas mulheres - porque as mulheres estiveram sempre ocupadas, tiveram sempre o papel de mães, de avós, da domesticidade. Não é à toa que se fala da viúva alegre e não se fala do viúvo alegre. As mulheres, enfim, sobrevivem melhor.

Interessa-me esse problema do isolamento, da solidão, dos grupos de reformados a quem o sistema dá uma pensão mínima, mas estão ali no largo da igreja a descontar no tempo. Um dos projectos que pretendemos desenvolver é sobre o envelhecimento activo, o uso do tempo. Digo: "Há muitos viúvos isolados." Haverá mesmo? Vamos saber, porque uma pessoa pode ser viúva e não se sentir só, pode ter amigos, participar em actividades, viajar em grupo».


[Manuel Villaverde Cabral, coordenador do Instituto do Envelhecimento]


3 comentários:

JFDourado disse...

Não conhecia a palavra resiliência, confesso.
Já ganhei o dia, portanto.

:)*

Viviane disse...

Lido com muita solidão nos meus dias de trabalho. Diferentes tipos de solidão, até. Existem os que estão, efectivamente, sós. Aqueles que não têm ninguém a quem se ligar após a alta, os que não são visitados por ninguem para além da vizinha do prédio. Existem outros, que apesar de terem pessoas em seu redor foram deixados ao abandono. Pela família, pelos filhos e os irmãos. Reconheço hoje que família não é igual a uma velhice acompanhada. A resiliência varia de indivíduo para indíviduo. O "coping "é diferente para cada um de nós.

Joaquim Alexandre disse...

Olá, Raquel:
Não me meto no "sail boat" da melua e até derivo para as milhões de bicicletas em Pequim, http://www.youtube.com/watch?v=DTy3WA0Pq8M
É o mesmo assunto do sail boat mas dito a mim, a fascinar-me a mim.

Neste comentário não discorro sobre a solidão, mas sobre Leni "Matusalém" Reifenstahl.

Estava mesmo agora a fazer o tpc, amanhã vou ao Piaget à missa George Steiner e acabo de o ver neste vídeo "Steiner on Reifenstahl" http://www.youtube.com/watch?v=L5oKUpuSgwQ

Ora muito bem,a matusalém da raça ariana era uma cineasta admirável porque:

1: filmava as massas como as marés de um oceano
2: na marcha para além do formigueiro, filmava a formiga marchante
3: filmava as pedras e a arquitectura (o Speer - a arquitectura é sempre totalitária, ui que isto dava um artigo, um doutoramento até, ups...)
4: a celebração do corpo alemão (depois da humilhação de Weimar e da fome pós tratado de Versalhes, pois)

O Steiner é fino
E eu vou ouvê-lo amanhã.

Este comentário está off-topic.

De tal me penitencio
A.